Pequenos hábitos, grandes mudanças | A teoria do 1% na prática Postado por Rodrigo Vinhas em abr 22, 2019
A mágica acontece nos pequenos detalhes. Em geral tendemos a desprezar os pequenos progressos que estão ao nosso alcance todos os dias. Estamos sempre ansiosos por aquele grande evento que vai gerar uma mudança gigantesca e todo mundo vai reparar, falar sobre isso e nos parabenizar pelos nossos feitos, mas não é assim que acontece na vida real. Só no cinema, o Rock Balboa aparece treinando por 05 minutos e depois vira campeão mundial. O grande evento é na verdade, o resultado dos hábitos que precederam esse grande evento ao longo dos anos consistentemente. Vou citar aqui um exemplo pessoal: Eu fundei uma empresa chamada Egratitude em meados de 2016. Nosso primeiro produto foi um curso online chamado Inteligência Financeira com a maior autoridade em finanças do Brasil, o respeitado escritor Gustavo Cerbasi. Logo no primeiro lançamento, nós tivemos um retorno de 10 x sobre o investimento que fizemos em tráfego pago ( publicidade no facebook, instagram, google etc) e tivemos um faturamento de múltiplos milhões de reais. E aí esse grande evento parece que surgiu de repente. Mas esse seria uma visão bem estreita e inocente da verdade, desconsiderando a fotografia completa. Esse sucesso "da noite para o dia" aconteceu em primeiro lugar pela credibilidade do Gustavo que na época, já era um autor best seller e já tinha lançado aproximadamente 15 livros que tinham vendido mais de 2 milhões de exemplares, só que ele ainda não havia explorado a força do seu conteúdo na internet e foi aí que ao nos juntarmos e ele confiar a mim a tarefa de desenvolver a sua presença no ambiente digital, a coisa tomou uma proporção gigantesca. Apesar de na época eu ainda não ter praticamente nenhuma experiência com marketing digital (meu primeiro contato com o assunto foi no final de 2015, alguns meses antes de fecharmos contrato) eu consegui persuadir o Gustavo a trabalhar comigo pelo fato do meu histórico anterior, de eu já ter alguma experiência como empreendedor por mais de 07 anos na época e por já ter tido envolvimento em diversos lançamentosde produtos de sucesso. Toda essa bagagem anterior me forneceu o conhecimento que eu precisava para saber como embalar e vender um produto, ainda que eu estivesse fora desse ambiente de lançamentos digitais. Tudo isso me permitiu ir muito mais rápido do que a maioria das pessoas que começam do zero, pois havia o fator experiência envolvido e só para deixar claro que quando eu uso a palavra experiência, estou me referindo também as dezenas de coisas que eu tentei fazer e deram errado, inclusive todas vezes em que quase coloquei tudo a perder e não foram poucas ao longo desses dez anos. E a melhor contínua veio de pequenos hábitos que eu pratiquei no dia a dia e apesar de eu ter sido intermitente em relação a esses hábitos, quanto mais me torno consistente, mais eu vejo o resultado dessa melhora. É como aquela famosa frase "Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho". Me desenvolvi ao longo dos anos atendendo centenas de clientes, realizando vendas de shows, acertando, errando e descobrindo melhores caminhos de persuadir e liderar, entendendo como alinhar diversos interesses ao redor de uma visão, mas o que as pessoas enxergam é só o lançamento do produto e quantos milhões de reais esse produto faturou. Na verdade, esse é um fato muito comum nesse tempo em que vivemos em que as redes sociais estão em alta e as pessoas só publicam os highlights da vida (e algumas vezes, provavelmente quase sempre, esses recortes são nebulosamente maquiados para parecerem melhores do que são) e o foco para se parecer melhor do que é nunca foi tão grande. Tipo a frase "fake until you make it" ( finja até que seja feito) que encoraja as pessoas fingirem ser algo que não são até que se tornem, mas eu prefiro "make until you make it" ( faça até que seja feito ). Infelizmente o ser humano não foi programado para adiar uma gratificação imediata em detrimento a um resultado positivo de longo prazo. Mas a questão é que devemos focar no que trás o resultado, muito mais do que no resultado em si. O que leva um empreendimento a ser bem sucedido?
  • Uma visão clara.
  • Bom produto.
  • Mão na massa.
  • Modelo de negócio.
  • Financiamento.
  • Time.
  • Gestão de recursos.
  • Liderança.
Mas uma pequena melhora na visão de negócio ou na gestão do time, 1% a mais de desempenho de um produto, ou na produtividade dos membros da equipe não é digna de uma foto no Instagram.   O que as pessoas querem ver é você no palco, segurando uma placa que possa dar credibilidade aos seus feitos, mas o que vai te levar a subir no palco e poder segurar uma placa pelos seus feitos, são esses pequenos avanços que acontecem todos os dias sem glamour nenhum. O foco deve ser no processo, não no resultado final. "Ame o processo" - Ryan Holiday Ter o objetivo é bom para que todas as pessoas envolvidas no projeto possam ter um senso de direção e que saibam para onde estão indo, mas depois disso, a meta deve ser colocada na prateleira e o foco deve ser exclusivamente no sistema, no processo, do que vai ser feito a cada dia, a cada minuto para que aquela meta se torne viável. Se você conseguir a façanha de implementar uma pequena melhora no seu desempenho todos os dias, durante 365 dias, no final de um ano você vai ter melhorado aproximadamente 37 vezes o seu resultado. Eu vou fazer um experimento pessoal com as minhas finanças pessoais. Tenho um plano de morar um tempo no exterior em um futuro próximo. Vou começar com R$ 3.000,00 ( três mil reais) e vou evoluir as minhas finanças em 1% por dia ( desconsiderando o rendimento da aplicação que eu deixar) e quando tiver passado um ano aplicando essa estratégia, eu terei juntado R$ 113.350,30 ( cento e treze mil, trezentos e cinquenta reais e trinta centavos). Depois eu vou dividir o resultado aqui, se eu de fato conseguir. Eu estava lendo o livro do James Clear,  Atomic Habits, que por sinal é excelente. Ele conta a história, de como o time de ciclismo da Inglaterra, saiu da completa mediocridade para um resultado estrondoso em alguns poucos anos, com o foco absoluto nos ganhos marginais e nessas pequenas melhoras de 1%. Entre 1908 e 2003, o time de ciclismo da Inglaterra teve um desempenho medíocre e ganhou apenas uma medalha de ouro em toda a história e jamais havia conquistado um tour de france, que é o campeonato mais importante do mundo na modalidade. Em 2006 eles contrataram um novo diretor técnico chamado Dave Brailsford. Então ele começou a implementar pequenas melhoras no banco da bicicleta, nas roupas que os atletas usavam, nos colchões que eles usavam para dormir, na limpeza do ônibus os quais eles viajavam para evitar que eles ficassem doentes, na maneira a qual eles lavavam as mãos para evitar os germes e dezenas, quiçá centenas de pequenas melhoras dessa maneira. Ele levou esse conceito de ganhos marginais até as últimas consequências e determinou que se trabalhassem dessa forma e de maneira consistente, eles poderiam ganhar o tour de france em aproximadamente cinco anos. Acontece que ele se enganou. Eles ganharam o tour de france em apenas 3 anos. Em 2008, nas olimpíadas de Pequim, eles ganharam 60% de todas as medalhas disponíveis e nas olimpíadas de Londres eles ganharam 70% de todas as medalhas disponíveis, depois de terem amargado quase 100 anos com apenas uma medalha. Eles também ganharam com atletas diferentes o tour de france 05 vezes em um período de 06 anos. Fica a reflexão de qual seria a mudança para melhor de 1% que você poderia aplicar nas áreas mais importantes da sua vida, como relacionamento, saúde física e mental, finanças? Comece agora!